Livro reúne as receitas prediletas das divas do cinema

Escrito por Evânio Alves, o recém-lançado livro “As Divas na Cozinha” conta com mais de 60 receitas feitas pelas estrelas do cinema e da música

Com 320 páginas e recheado de fotos curiosas e pouco conhecidas, o livro “As Divas na Cozinha – Histórias e Receitas das Estrelas da Música e do Cinema” compila cerca de 60 receitas de 52 estrelas, como Audrey Hepburn, Marilyn Monroe, Maria Callas e Greta Garbo, entre outras.

Na publicação, ainda é possível aprender a fazer os pratos adorados por essas divas, como o recheio de peru inventado pela própria Marilyn; os macarons cítricos de chocolate branco e coco de Kim Novak; as almôndegas suecas de Greta Garbo ou o frango ao vinho de Elizabeth Taylor, que de tão apaixonada pelo prato foi parar em um pronto-socorro, engasgada com uma coxa de frango frito, segundo relatos do livro.

O mais curioso é que o próprio autor testou as receitas que encontrou durante a sua pesquisa, que durou cerca de dois anos. Segue relato de Evânio Alves:

“Acabei descobrindo que muitas iam para a cozinha por hábitos adquiridos com as mães na adolescência, outras já iam na intenção de provar para seus amores que não eram somente aquela mulher sexy e famosa da telona –caso de Marilyn Monroe quando estava casada com o dramaturgo Arthur Miller e sentia-se menosprezada. Outras iam, porque acreditavam que fisgariam o grande amor da sua vida pela boca, caso de Maria Callas que, apesar de amar cozinhar, tentava amarrar o magnata Onassis com seus dotes culinários.”

É possível comprar o livro por R$ 79,90 pelo site www.espacodivas.com.

Veja mais fotos do livro “As Divas na Cozinha – Histórias e Receitas das Estrelas da Música e do Cinema”:

Audrey Hepburn assando torradas ❤

Ava Gardner cozinhando panquecas

William Travilla, o gênio por trás de Marilyn Monroe

Marilyn Monroe em cena do filme “O Pecado Mora ao Lado”, de Billy Wilder

A morte de Marilyn Monroe vai completar 50 anos neste domingo (5). Em 1962, um dos maiores símbolos sexuais do cinema morreu de overdose e, até hoje, esse episódio ainda é envolto por mistérios. No entanto, é fato que, com sua ingênua sensualidade e atitude provocante, Marilyn foi como um furacão para a sexualidade ainda em erupção e até repressiva dos anos 50.

Um dos momentos mais icônicos da carreira da atriz foi no filme “O Pecado Mora ao Lado” (1955), dirigido por Billy Wilder (“Crepúsculo dos Deuses”). A atriz e o diretor ainda levam o crédito pela cena, que é reproduzida aos montes até os dias de hoje –mesmo 50 anos após sua morte, a imagem de Marilyn continua fresca na memória coletiva.

No entanto, o gênio por trás deste vestido frente-única branco e plissado é o figurinista William Travilla. Em 2011, a peça foi vendida por US$ 4,6 milhões pela casa de leilão norte-americana Profiles in History.

Travilla vestindo Marilyn Monroe

Segundo esses casos, meio lendas do cinema, a atriz conheceu Travilla ao pedir para usar o provador de roupas dele, no estúdio da Twenieth Century-Fox. A parceria foi longe e o figurinista, que conseguiu captar perfeitamente o espírito de Marilyn, acabou vestindo a diva em oito filmes no total. Aliás, Travilla ainda foi responsável por confeccionar outra peça marcante vestida pela loira: o vestido de cetim rosa de “Os Homens Preferem as Loiras” (1953). Ele é um dos grandes responsáveis por manter essas imagens vivas até hoje.

O figurinista também vestiu outros ícones do cinema, como Marlon Brando em “Viva Zapata!” (1952). Em 1950, ganhou o Oscar pelo figurino de “As Aventuras de Don Juan” (1948). E Whitney Houston chegou a usar um vestido do designer para ir à cerimônia do Grammy em 1986. Travilla morreu em 1990. Quase três décadas sem poder vestir Marilyn.

Marilyn Monroe sendo… Marilyn Monroe